Case-se com seu Arquiteto

Um Arquiteto com o qual você se identifica é igual a marido rico, bonito e cheiroso: Se a sorte bateu em sua porta, case-se com ele. Ou melhor case-se, viva-se e morra-se com ele e por ele.
Não é fácil a identificação cliente e Arquiteto, ou melhor, pro santo bater há uma serie de fatores. Quer ver? O que você esta fazendo com um Arquiteto que é Arquiteto nas horas vagas e surfista o dia todo? Todo santo dia? Se você for rato ou rata de praia, case-se com ele, digo casar profissionalmente, mas se pintar o clima e a tal da química bater, mande o profissionalismo seu e dele pros infernos e viva esta historia loucamente, mas já vou te avisando Arquiteto é uma mistura de geminiano, com mulher de TPM, com aquela montanha russa doida que ninguém vai, e sinceramente? Tem coisa melhor que amar gente doida de pedra que não tem rotina nunca? Tem! Ser gente doida de pedra que não tem rotina nunca e não engorda ao comer Nutella, que é a oitava maravilha do mundo, fica bom até com inhame (arghhhh).
Digo por experiência própria. Sou um Arquiteto pirado na batatinha, mas como não ser um pouco doido com tanta coisa ou criação na cabeça? Um amigo meu psicólogo já me recomendou uns ansiolíticos, mas tenho medo de usar sabe e não ser mais, por alguns instantes, pirado na batatinha. Desconfie de Arquiteto que for muito normal.
Ao encontrar o Arquiteto que tenha o mesmo grau de piração sua, ouça e veja a piração dele. Você provavelmente vai se achar até “normal” e vai embarcar na dele. Se jogue tipo Laurinha Figueiroa da novela Rainha da Sucata do 20º andar, sem rede de proteção e verá como sua casa, loja ou o que quer que seja, Arquiteto faz o que quer que seja em criação, desde que esteja com tesão e vontade, vai ficar linda e confortável.
Quer uma casa “sua cara”, mesmo que essa sua cara tenha passado pelo Pitanguy? Contrate um Arquiteto que se torne seu amigo também, ele vai engolir seu egocentrismo e vai fazer tudo do seu jeitinho, ou quase tudo…
Tem três seres que nunca, eu disse NUNCA deve-se brigar: Mulher traída, homem apaixonado e Arquiteto. Brigou, perdeu. Trate-os bem, seja empático e traga-os a seu favor. É o melhor que você pode fazer, para sua casa não cair literalmente.
Tá precisando de um Arquiteto? Vá bater perna! Converse com clientes dele, entre nas obras construídas, sinta o ambiente que eles fizeram e só depois de uma boa conversa com o próprio o contrate.
Na conversa fale TUDO, tudo o que você quer em seu imóvel, e não esqueça nunca: Não existe nada cafona no mundo, cafonice alias é você não ser você mesmo. Não gosta de branco? Não queira branco nem pintado! Gosta de tapete de oncinha? Coloque e seja feliz, a máxima é: Sua casa seu mundo. E mundo alheio quando visitado deve ser respeitado. E o Arquiteto esta visitando o seu mundo.
Mas se a sorte te sorriu (e o trabalho) financeiramente e você quer ostentar com o Arquiteto ( com ótimo relacionamento com as revistas e mídia especializadas) da moda que não tem nada haver com você. O contrate. O dinheiro é seu, a paciência é sua e o psicólogo é seu. A casa não vai ficar sua cara, você vai ficar “P” da vida (mesmo não admitindo isso) e se tornará uma visitante indesejada em sua própria casa. Mas, nada como um rivotril, uma boa dose de whisky duplo e uma paciência monstra para “ O Arquiteto da moda que todo mundo contrata porque ouviu falar que ele é chic e arrasa” sair da moda. A moda é assim um tem que sair para dar lugar para outro. Ai cabe a você contratar alguém com a personalidade parecida com a sua ou tomar um rivotril de novo…
Nunca se constranja com seu arquiteto. Se você tem vergonha de fazer algum pedido ou sugestão tem algo errado nessa relação. Relação de Arquiteto/ cliente deve ser fluida e de confiança. Deu vontade, peça, se ouvir um “não” bem sonoro, peça explicação e só aceite se você perceber que esta redondamente enganada em querer colocar um mastro de pole dance no seu quarto.
Encontrou O arquiteto de sua vida? Mime-o, não com presentes mas com elogios. Gostou de algo? Elogie. O melhor combustível para o bom profissional é o elogio. Você irá se surpreender com o poder do elogio.
Vou te confidenciar algo que TODO Arquiteto ODEIA: quando estamos desenhando ou escrevendo puxem o lápis de nossa mão. Olha… PAUSA DRAMÀTICA. Tenho uma vontade de dá uma voadora, um duplo carpado “Daine dos Santos” na cara de quem puxou meu lápis… respiro fundo, lanço meu olhar 43, e peço meigo: Você pode me dar meu lápis, queridinho? Nestas horas é que me arrependo de ser mais normal que deveria…

Leave a comment